Inteligência Emocional: diferencial para uma vida muito melhor

Inteligência Emocional: diferencial para uma vida muito melhor

Compartilhar nosso conhecimento e as nossas experiências, pessoais e profissionais, é sem dúvida uma das melhores formas de crescer e contribuir para o crescimento do seu semelhante.

Eu atuo na área de recursos humanos já faz um bom tempo, e em diversas atividades como voluntário, além de ser músico, esposo, pai, filho, irmão... Em todas essas áreas a inteligência emocional tem sido minha forte aliada. E costumo falar do quanto sofri e fiz as pessoas ao meu redor sofrerem por não conhecer essas ferramentas no passado.

Eu sou uma pessoa bastante sorridente, e isso às vezes provoca perguntas do tipo: - Glaubert, como é que faz pra viver assim como você, sempre sorrindo? Eu explico (às vezes só com o sorriso...) que a minha vida não é só de harmonia e felicidade, mas que desenvolvi a inteligência emocional para ter uma vida mais feliz. Ela não elimina as intempéries da vida de ninguém, mas...

Mas afinal de contas, o que é inteligência emocional?

Segundo Daniel Goleman, é a capacidade do indivíduo em compreender e gerenciar as próprias emoções e também de aprender a lidar com as emoções e sentimentos das pessoas a sua volta, com o objetivo de alcançar resultados positivos em todos os sentidos.

Focando apenas na área profissional, vamos refletir: qual a importância de desenvolver a inteligência emocional no trabalho?

Faz toda diferença! É através dela que o profissional tem a oportunidade de conquistar o que deseja com mais consistência. É valido também para quem deseja desenvolver uma boa liderança. Um líder calmo, com clareza sobre suas emoções e sentimentos na hora de avaliar determinada situação, resiliente, que sabe gerenciar imprevistos e lidar com mudanças repentinas em seu dia a dia de trabalho, tem mais chances de alcançar o sucesso do que aquele que vive estressado e resolve os conflitos pelos quais passa com impulsividade.

Uma das coisas que me motivou escrever sobre o tema foi o resultado obtido com os alunos da disciplina que leciono para o curso Técnico em Enfermagem, e que leva o nome de Inteligência Emocional e Humanização.

Tem sido uma experiência muito rica compartilhar com a turma esse conhecimento. Muitos alunos já me relataram que começaram a colocar em prática algumas ferramentas, mudando até mesmo o clima do ambiente de trabalho.

Vou dar então algumas dicas práticas, de como desenvolver a inteligência emocional.

  • Conheça suas próprias emoções: reconhecer os sentimentos é o primeiro passo para o desenvolvimento do autocontrole emocional, principalmente no que diz respeito ao ambiente de trabalho.
  • Aprenda a lidar com as emoções: após identificar as emoções e sentimentos que estão sendo um empecilho para o seu crescimento profissional, é necessário aprender a lidar com cada um deles.
  • Desenvolva a empatia: uma pessoa empática tem capacidade de lidar com a dor alheia. Essa prática consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente a outra, exercendo generosidade e tolerância.
  • Mantenha-se motivado: não terceirize sua motivação, ela é intrínseca.

Os sinais de autocontrole emocional são perceptíveis. Atitudes como: propensão para reflexão e ponderação; adaptação à ambiguidade e mudança; integridade e capacidade de dizer não aos impulsos, tudo perpassa por um autoconhecimento que é essencial em nossa vida. Com ele podemos atingir resultados inimagináveis!

Sempre ouvi dizer que “a felicidade é uma abreviação de uma ótima experiência”. De fato, geralmente a utilizamos para resumir a qualidade das experiências vividas.

Porque não viver ótimas experiências no ambiente de trabalho?

Algumas emoções são primordiais para uma transformação real em nosso cotidiano, para desenvolvimento da inteligência emocional no trabalho, entre elas destaco:

  • Entusiasmo - Um estado de alta energia que nos ajuda a criar e aproveitar oportunidades. É uma maneira de mobilizar os nossos esforços, bem como os de outras pessoas.
  • Interesse - Pode ser entendido como foco. Ele nos ajuda a comprometermos com as tarefas que são, talvez, um desafio a curto prazo, mas que trazem benefícios a médio e a longo prazo.
  • Contentamento - Nos ajuda a refletir sobre o que correu bem e como o mesmo tipo de sucesso pode ser duplicado. Contente-se com sua realidade!
  • Influência positiva - O segredo é manter comentários positivos em nosso dia a dia. Pare de reclamar de tudo e de todos!

Por fim, teremos mais sucesso se realizarmos aquilo que nos foi designado de forma positiva, com inteligência emocional!

Glaubert Santos
Glaubert SantosGestor de Recursos Humanos, Tecnólogo em RH e pós graduando e Programação Neurolinguística. Músico, palestrante, professor da Ecotec, voluntário em instituições beneficentes da cidade de Betim.

Vamos Conversar?

Ao clicar em enviar você concorda com os Termos de Condições do site!

Categoria: